Sex 21 Nov 21H30
MÚSICA 5,00€ | 3,50€ [C/DESC. HABITUAIS] | PASSE GERAL ESTARREJAZZ 7,50€ | 5,00€ [C/DESC. HABITUAIS]
ESTARREJAZZ 2008 | M/3

SEXTETO DE LAURENT FILIPE

MINGUS E MAIS
[Enviar a um amigo]
Trompete, feliscorn: Laurent Filipe
Saxofone: José Menezes
Trombone: Peter Wetherill
Piano: Carlos Azevedo
Contrabaixo: Massimo Cavalli
Bateria: Paulo Bandeira

Na música de Charles Mingus (1922-1980), para além da sua importância fundamental no "panorama" musical do século XX, cabe salientar que o elemento teatral e circense que caracteriza a sua escrita, associado a uma energia e beleza que emanam das próprias melodias, são factores de irresistível motivação e inspiração para quem a interpreta.

O Sexteto de Laurent Filipe seleccionou uma parte da obra do compositor-contrabaixista, apresentando aqueles que são alguns dos temas mais representativos da sua genialidade, podendo, eventualmente complementar o reportório com temas originais.
 
No que diz respeito à parte instrumental, o sexteto possui uma maleabilidade tímbrica que melhor se adequa às exigências do reportório, sem sacrificar uma escrita de carácter essencialmente orquestral, capaz de traduzir a multiplicidade melódica de cada composição.

Charles Mingus (1922-1980)

Para além de um contrabaixista virtuoso, Charles Mingus foi um dos compositores mais importantes no panorama da música americana do século XX. Influenciado pela musica coral de igreja e pela musica de Duke Ellington, Charles Mingus começou a sua carreira profissional nos anos 40, acompanhando grandes mestres como Louis Armstrong, Kid Ory e Lionel Hampton. Nos anos 50 viria a tocar com Charlie Parker, Miles Davis, Bud Powell, Art Tatum e Duke Ellington.

Mingus foi um dos raros contrabaixistas a liderar os seus próprios grupos e projectos, incluindo a criação da sua editora, através da qual viria a publicar o seu extenso repertório de música original.

A sua discografia é testemunha de uma imensa capacidade criativa, sempre na vanguarda da cena jazzistica. Dos mais de cem discos e trezentas partituras de Mingus, destacam-se os álbuns: Pithecantropus Erectus, The Clown, Tijuana Moods, Mingus Dinasty, Mingus Ah Um, The Black Saint and the Sinner Lady e Let My Children Hear Music .

Em 1971 Mingus recebeu o prémio "Slee Chair of Music", ano tambem em que a sua autobiografia "Beneath the Underdog" foi publicada. A música de Charles MIngus foi coreografada por companhias de ballet tais como a Alvin Ailey Dance Company e a Joffrey Ballet Company, destacando-se a obra "The Mingus Dances", em 1972.