O lado artstico de pensar a Europa

O projeto Variações sobre a Europa passou pelo Cine-Teatro de Estarreja sob a forma de duas oficinas artísticas - oficina de Escrita Criativa e de Vídeo – terminadas no passado dia 31 de janeiro. Aos 15 participantes foi colocado um desafio: pensar na Europa numa vertente artística e criativa.

Depois de 18 horas de trabalho, durante 6 dias de oficinas, foram criados quatro olhares sobre a Europa espelhados em pequenos vídeos que têm o Cine-Teatro de Estarreja como imagem de fundo. As oficinas de Escrita Criativa e Vídeo terminaram e surpreenderam pela positiva os 15 participantes, com idades compreendidas entre os 20 e os 50 anos e percursos profissionais heterogéneos.

Estas oficinas estiveram inseridas no projeto Variações sobre a Europa, da Comissão Europeia e da Setepés, que tem como objetivo principal aproximar os cidadãos europeus e fazê-los refletir e participar na dimensão cultural e cívica da EU. Nas palavras de Pedro Chagas Freitas, escritor responsável pela oficina de Escrita Criativa, “o que se pretende é, por um lado, obrigar as pessoas a pensar sobre a Europa e, por outro lado, obrigar quem vê o produto final a refletir sobre o que é demonstrado”.

Tendo como momento fundador a Conferência Quatro Temas em Azul-Europa, que contou com a participação de especialistas em assuntos europeus, nomeadamente Maria João Valente Rosa, Manuel Maria Carrilho, João Teixeira Lopes e Rui Tavares, o projeto Variações sobre a Europa pôs mãos à obra e desafiou a comunidade a construir um olhar artístico sobre a Europa dos dias de hoje. Os “Desafios Demográficos”, a “Responsabilidade Cultural Europeia”, a “Juventude e o (des)Emprego” e a “Cidadania e Participação” são os Quatro Temas Azul-Europa apresentados aos participantes das oficinas que decorreram por todo o país e onde o Cine-Teatro de Estarreja se incluiu.

Quatro equipas criativas e vários ângulos para refletir sobre a Europa
Apesar dos quatro temas propostos a cada grupo de trabalho, como base para a criação audiovisual, os participantes Raul Correia e Catarina Mendes, ambos de 28 anos, preferiram não se cingir a um ângulo específico para pensar na Europa: “o nosso vídeo baseia-se essencialmente em levantar questões, abordando os quatro temas”- explica Raul, animador sociocultural que se inscreveu nestas oficinas motivado pela vontade de aprender novas linguagens, nomeadamente de vídeo. Segundo Catarina Mendes, assumiram “um discurso entre duas personagens, um homem e uma mulher, tentando teatralizar de algum modo o conjunto”. “Das sucessivas questões que um coloca ao outro, sem nenhum dar resposta, fomos, ao mesmo tempo, intercalando com imagens do quotidiano e da vida real que ilustrassem aquilo que pretendíamos mostrar com essas questões” – acrescenta.

Representante de outro grupo de pensadores europeus, Susy Costa, de 25 anos, preferiu focar-se nas questões ligadas “ao futuro da Europa” e à “cidadania”. A técnica de radiologia e a sua equipa criativa abordaram “algumas incógnitas e a mentira que se vive nos dias de hoje”.

Tudo isto com a ajuda de José Pedro Lopes, da Anexo 82, que orientou a Oficina de Vídeo. O filmmaker incutiu aos 15 participantes e quatro grupos de trabalho a importância de planear todos os passos e fez questão de vincar a vertente criativa pretendida pelo projeto Variações sobre a Europa, mostrando “que há muitas soluções que, sendo criativo, podem compensar a falta de recursos tecnológicos e de tempo”.

A Europa é…
Esta reflexão acerca do que é a Europa, promovida pelo projeto Variações sobre a Europa, leva a que os participantes continuem à procura de respostas concretas. Na opinião de Susy, há na Europa “uma confusão muito grande em relação áquilo que planeavam fazer e em relação áquilo que é feito”. Não discordante, Raul refere que foi gerado na Europa “um conceito de solidariedade e interajuda que não está a ser praticado, estando os valores económicos a ter mais poder do que a essência da Europa”. Para colmatar, Catarina Mendes acrescenta que o conceito de Europa e de comunidade europeia acaba por ser uma grande dúvida no futuro e um monte de perguntas que até agora ninguém soube efetivamente responder”.

O Cine-Teatro de Estarreja é uma das instituições culturais nacionais escolhida para se tornar Embaixadora do projeto Variações sobre a Europa. Uma eleição que reconhece o seu dinamismo cultural e a força do trabalho desenvolvido dentro do projeto educativo.



 

Comentários [ 0 ]

Ainda não foi feito quaisquer comentário a este artigo.

Deixe o seu comentário

Apenas utilizadores registados no nosso site podem deixar comentários.

Se ainda não tem conta, registe-se aqui