O Grupo de Teatro Juvenil do CTE est pronto para a competio PANOS

É já no próximo dia 27 de abril que o Grupo de Teatro Juvenil do CTE apresenta "Ester", de Rui Catalão, no âmbito do projeto PANOS da Culturgest.

Os ensaios são cada vez mais, o entusiasmo ferve no estômago. Está a chegar o dia do espetáculo.
No palco, o branco sobressai no fundo preto, mas a atenção fixa-se na fluidez das falas e da movimentação, no tom profissional do trabalho destes dez jovens atores que compõem o Grupo de Teatro Juvenil do CTE.
Este ano a encenação está a cargo de Teresa Arcanjo. A escolha do texto de Rui Catalão foi imediata para a atriz, devido à “existência do elemento Coro”. Uma particularidade da peça que Teresa Arcanjo não quis evidenciar pelo seu lado mais tradicional. “Quis transformar o elemento do coro no corpo do espetáculo, ou seja, é ele que faz a peça avançar, é ele que faz o cenário, é ele que dá todo o ambiente” - explica a encenadora.
Rui Catalão procurou trazer a história de "Ester" para os nossos dias, adaptando-a ao teatro e aos jovens. Entra aqui outro aspeto da peça que despertou o interesse de Teresa Arcanjo, já que Catalão “acabou por aliviar esta história do Antigo Testamento e introduzir um processo de teatro dentro do teatro, isto é, há cortes durante a peça em que os personagens deixam de ser personagens para serem atores”. Este “sair da peça” é para a encenadora uma dinâmica capaz de mostrar “ao público o que eles estão a viver enquanto jovens a fazer teatro”.

Uma história que usa a inteligência como arma
“Ester é uma jovem que faz parte do harém do rei e que vive toda a sua vida lá fechada, não conhece o mundo, pensa que é tudo cor-de-rosa e que poderá viver assim bem para sempre”, conta Mariana Rodrigues, de 17 anos, uma estreante no Grupo de Teatro Juvenil do CTE e que desempenha precisamente o papel de Ester no espetáculo. Quando o povo judeu é condenado, “Ester passa de menina inocente para uma mulher cheia de coragem capaz de confrontar o rei e fazê-lo ver que está errado”, conclui a jovem atriz. É esta mudança de atitude do personagem que mais desafiou Mariana, estarrejense que entrou para o Grupo de Teatro Juvenil do CTE impulsionada pelo “sonho de ser atriz de cinema”.
Já para Henrique Rainho (mais conhecido por Kiko), o Grupo de Teatro Juvenil do CTE e o PANOS não são uma novidade. “É simplesmente o gosto” pelo teatro que o faz, ano após ano, inscrever-se no grupo, um espaço que avalia como “uma oportunidade para expandir conhecimentos e ter novas experiências”. Em "Ester", Henrique veste-se de Rei Xerxes, “um homem completamente ingénuo que não faz ideia do que está a acontecer no seu reino ao ser manipulado pela personagem Amã”. Com 16 anos e também de Estarreja, Henrique destaca o apoio da encenadora em todo o processo de entrega à personagem e na própria progressão como intérprete. “Ester foi uma das peças em que mais progredi” - vinca o jovem ator.

“Temos tudo para ganhar”
PANOS é um projeto da Culturgest que alia o teatro juvenil às novas dramaturgias. “Acho que é superinteressante, porque a nossa sociedade não tem muito o hábito de ir ao teatro, então, antes de levar as pessoas é importante dar-lhes a conhecer o que é o teatro, visto de dentro” - diz Teresa Arcanjo ao avaliar este programa inspirado no londrino "Connections".
No âmbito do PANOS, todos os anos peças novas são escritas de propósito para serem apresentadas pelos grupos envolvidos, como é o caso do Grupo de Teatro Juvenil do CTE. Cada espetáculo é avaliado por um júri no sentido de escolher a melhor interpretação de cada texto a nível nacional. Por sua vez, os grupos selecionados vão em maio ao Festival PANOS, onde será escolhido o melhor de toda a competição.
Mariana Rodrigues acredita que será “uma contentação enorme chegar ao final e saber que todos foram premiados pelo esforço”. Uma opinião mais direta é apresentada por Henrique Raínho: “Nós temos tudo para ganhar!” – acredita o intérprete de Rei Xerxes em "Ester". O trabalho, o esforço, o conjunto de atores e, “acima de tudo a diferença”, são os fatores que, para o jovem "Kiko", vão valorizar o trabalho do Grupo de Teatro Juvenil do CTE junto do júri da Culturgest.

Ler mais acerca do espetáculo

Comentários [ 0 ]

Ainda não foi feito quaisquer comentário a este artigo.

Deixe o seu comentário

Apenas utilizadores registados no nosso site podem deixar comentários.

Se ainda não tem conta, registe-se aqui