IN LOKO

SB 24 NOV 21H30

MÚSICA 5,00€ | 3,50€ [C/DESC. HABITUAIS] | PASSE GERAL ESTARREJAZZ 7,50€ | 5,00€ [C/DESC. HABITUAIS]
ESTARREJAZZ 2007
 
CARLOS BARRETTO | MÁRIO DELGADO | JOSÉ SALGUEIRO | BERNARDO SASSETI | JOÃO MOREIRA | S. SCHERIFF
  
Contrabaixo e efeitos electrónicos: Carlos Barretto
Guitarra eléctrica e efeitos electrónicos: Mário Delgado
Bateria: José Salgueiro
Piano Fender Rhodes e efeitos: Bernardo Sassetti
Trompete e efeitos electrónicos: João Moreira
Percussões: Sebastian Scheriff

Projecto de cariz universalista que pretende aglomerar as estéticas do jazz, do rock e da electrónica num diálogo transgressor e (ao mesmo tempo) consensual. A arquitectura dos ritmos e "groove" de batida pujante, é contaminada por sonoridades abstractas e improvisação colectiva, criando matéria aparentemente caótica mas orgânica, conduzindo a viagem a bom porto. De Jimmy Hendrix a Stockausen, tudo é permitido.

Carlos Barretto inspirou-se em conceitos estéticos de dois dos mais consagrados génios da arte do séc. XX - Picasso e Miles Davis (no seu período eléctrico dos anos 70): ambos declararam que a criação artística não deve excluir os incultos e os leigos, antes pelo contrário, devemos partir de algo que seja suficientemente acessível ao comum
dos mortais, dar-lhes referencias que os ajudem a situar-se (no seu limitado conforto), conduzindo-os a fazer uma viagem a partir de elementos formais que já conhece, em direcção ao desconhecido, ao novo, à criação em estado puro.

O projecto In Loko é assim o resultado de uma busca incessante das ideias de Barretto na tentativa de aproximação às correntes estéticas musicais actuais, sem perder de vista a acessibilidade de ouvidos menos informados.

Carlos Barretto tem trabalhado activamente com Mário Delgado e José Salgueiro desde 1997. Entre concertos, digressões e edição de vários CD’s, desenvolveram correntes estéticas cada vez mais originais e arrojadas, compondo e improvisando música em crescente grau de cumplicidade, fazendo deste ensemble um dos mais personalizados do nosso país nos últimos anos.

Numa busca incessante de novas cores e ambientes, Barretto sentiu a necessidade de alargar o núcleo duro, passando de trio a sexteto, com a inclusão de piano eléctrico Fender-Rhodes (Bernardo Sassetti é um entusiasta deste instrumento), trompete (com componentes electrónicos por João Moreira) e percussões (Sebastian Scheriff) criando assim uma música orgânica, ritmicamente pujante, em que o elemento “efeito electrónico” estará na ordem do dia, deixando muita liberdade para cada um se expressar.

Carlos Barretto nasceu em 18 de Julho de 1957. Aprendeu a tocar guitarra com seis anos aos dez passou para o piano, no Conservatório Nacional. Mais tarde optou pelo contrabaixo. Concluído o curso do Conservatório, foi aperfeiçoar a técnica instrumental na Academia Superior de Música de Viena, na Áustria, estudando com Ludwig treischer.

De regresso a Lisboa ingressou na Orquestra Sinfónica da RDP e participou em concertos de jazz com vários artistas. Em 1984, mudou-se para Paris, para se dedicar inteiramente à música improvisada, onde teve ocasião de se apresentar em concertos, festivais, clubes de jazz, emissões de rádio e televisão, com artistas de renome internacional.

Novo regresso a Lisboa (1993). Formou os seus grupos, para os quais compõe, tendo vários CD’s em seu nome. A sua discografia conta com treze títulos.

Horace Parlan, George Cables, Kirk Lightsey, Alain Jean Marie, Mal Waldron, Brad Mehldau, Lee Konitz, Barry Altschul, George Brown, Cindy Blackman, Joe Chambers, Jordy Rossy, Aldo Romano, Don Moye, Richard Galliano, Tony Scott, Glenn Ferris, Steve Grossman, Karl Berger, John Stubblefield, Steve Potts, Steve Lacy, Gary Bartz, Art Farmer, Jack Walrath, Marlon Jordan, John Betsch, Gerard Presencer, são alguns dos nomes com quem Carlos Barretto trabalhou.