CTE: ltimo trimestre com Pedro Burmester, urea e Lusa Sobral

Programao Out|Nov|Dez 2011

Vinte espectáculos vão rechear a programação do último trimestre no Cine-Teatro de Estarreja. Os ritmos vão da música clássica ao jazz, passando pelo soul, pelo tango contemporâneo e pela música de cariz mais tradicional. A agenda do CTE tem ainda expressão no teatro e na dança com performances para todas as idades que, juntamente com os concertos musicais, vão viajando pelo edifício, em espaços como o auditório e o bar. O serviço educativo dedica-se nestes últimos três meses de 2011 à área do teatro, onde se destaca o novo Grupo de Teatro Juvenil do CTE.

Eclética, será a melhor palavra para descrever a programação proposta pelo CTE para o 4º trimestre do ano, continuando a reflectir o carácter transversal deste espaço cultural. Uma diversidade fundamental para fazer chegar o CTE aos seus públicos, também eles caracteristicamente heterogéneos.

Esta programação está também voltada para Portugal. Todos os espectáculos têm nacionalidade portuguesa, com excepção das formações galegas trazidas pelo circuito Outonalidades. A promoção da cultura made in Portugal tem nestes últimos meses do ano expressão máxima no CTE, como prova da excelência e reconhecimento daquilo que se cria e produz no nosso país. Santiago do Cacém, Leiria, Porto, Lisboa, Minho. Artistas e criações espalhadas pelo território nacional encontram-se no Cine-Teatro de Estarreja.

Mantêm-se circuitos como o Outonalidades e o Estarrejazz. A 15ª edição do Outonalidades tem espaço reservado no CTE para nomes como XícaraMuSzabo-Silvera TangoLa ComandanciaCouple Coffee e Cabraret. Mais uma vez o circuito volta a unir Portugal e Galiza em vários espaços de música ao vivo. Não obstante, o BAR DO CTE recebe este ano grupos provenientes do norte de Portugal e da Galiza espanhola, com sonoridades que atravessam o mundo e outras trazidas do Brasil, da Argentina e dos cabarets parisienses. O Outonalidades é promovido pela d'Orfeu e é já considerado uma das maiores redes de música ao vivo de pequeno formato do ocidente ibérico. Por sua vez, na 6ª edição do Estarrejazz, Festival de Jazz de Estarreja, permanece a estrutura inicial [workshop + concertos] com o propósito de fazer deste festival não só um momento de fruição das essências e contemporaneidades do jazz, mas também uma oportunidade para ensinar o melhor deste estilo musical, em todas as suas formas, formações e instrumentos. Esta manifestação artística, trazida de Nova Orleães já no passado século XX, tem em Estarreja um lugar cativo e aconchegante. Depois de no ano passado o CTE ter recebido nomes como Maria João e Bernardo Sassetti, este ano a fasquia eleva-se com concertos de Nelson Cascais em quinteto, Paulo Bandeira Trio Mário Laginha a sós com o seu piano. Na semana de 21 a 26 de Novembro as noites de Outono vão ficar bem mais quentes ao som do jazz.

Outubro arranca logo no seu primeiro dia com Noiserv de David Santos. Um concerto intimista com ilustração ao vivo de Diana Mascaranhas. Seguindo ao ritmo da música, o mês de Outubro recebe ainda a suavidade de Luísa Sobral que coloca a cereja no topo do bolo ao som do jazz e de uma performance sonhadora. The Cherry on my Cake é o seu primeiro disco, espelhado no single Not There Yet.

Enquanto o circuito Outonalidades se encarrega do Bar do CTE ao longo das noites de Novembro e Dezembro, o auditório principal deste espaço cultural fica marcado pelo grande concerto de Áurea [19 NOV 22H]. Depois de uma passagem pelos Coliseus, Áurea chega ao CTE num novo formato de concerto, com apenas 5 músicos, para um Inverno mais intimista. O mês de Novembro fica ainda com uma semana dedicada ao jazz com a 6ª edição do Estarrejazz e os já referidos concertos de Nelson Cascais, Paulo Bandeira Trio e Mário Laginha.

Mas não só de música é preenchida a programação proposta pelo Cine-Teatro de Estarreja. Um Gesto Que Não Passa De Uma Ameaça [12 NOV 22H] junta os movimentos de Sofia Dias e Vítor Roriz que, como bailarinos e coreógrafos, procuram nesta performance de dança contemporânea uma aproximação ao método caótico segundo o qual a nossa mente funciona. Ainda dentro das artes performativas chega-nos Pedro Tochas e o seu espectáculo Coisas, que promete alegrar a noite do dia 5 de Novembro.

Nestes últimos meses de 2011, o serviço educativo do CTE dedica-se ao teatro. Espectáculos como Frágil, do Teatro de Marionetas do Porto, e Ovelhas Clandestinas, inspirado no conto ilustrado Raul, o Pastor, de Eva Muggenthaler, são uma excelente opção para os mais novos se ambientarem e maravilharem com a magia desta área artística. Ambos os espectáculos apresentam sessões e horários dedicados ao público escolar. A exploração destas peças pode representar um excelente momento pedagógico, tanto pelo relacionamento com as artes de palco, como pela abordagem de temáticas que servem no tamanho das crianças.

Além disso, o Cine-Teatro de Estarreja formou este ano o Grupo de Teatro Juvenil do CTE com o intuito de integrar o projecto PANOS da Culturgest.

Este teatro municipal continua assim o seu papel fundamental de melhoria da qualidade de vida da população e de desenvolvimento dos públicos, incrementando a cultura nos indivíduos e contribuindo para uma sociedade mais democrática, mais crítica e competitiva.

Durante estes 6 anos, contados a partir da sua reabertura, em 2005, o CTE acolheu cerca de 2091 eventos, ao longo de 1340 dias de animação, aos quais assistiram mais de 162 mil pessoas.

Inaugurado a 12 de Março de 1950, o Cine-Teatro de Estarreja foi palco durante muitos anos de grandes espectáculos de Teatro e Revista bem como de exibições cinematográficas. Depois de, em 1992 ter encerrado portas, foi tempo de repensar o papel das próprias salas de espectáculo e eis que, a 18 de Junho de 2005, dá-se a reabertura do Cine-Teatro de Estarreja e de um novo espaço cultural. Hoje, o CTE procura ser um lugar de encontros culturais diversificados, apostando numa programação variada e coerente, com propostas que visam o desenvolvimento e enriquecimento dos públicos em geral, numa relação íntima com a população local e as suas colectividades.

Neste sentido, além de workshops, exposições, colóquios e outras actividades sob o mote de serviço educativo, destacam-se alguns festivais, como os Concertos Íntimos ou o EstarreJazz, que ao longo destes seis anos constituem já uma referência a nível nacional. Nomes como Lloyd Cole,Joan as Police WomanAu Revoir SimoneTindersticksNouvelle VagueBrad Mehldau TrioDevotchkaJosé JamesAndy Mackee,Diego FigueiredoEdson CordeiroSeu JorgeThe Gift e Clã já pisaram o palco do CTE, tornando-o num espaço de referência cultural.