CINE-TEATRO DE ESTARREJA RECEBE LUSA SOBRAL

SB 22 OUT 22H00


Luísa Sobral voz
João Hasselberg contrabaixo
Carlos Miguel percussão
Filipe Melo piano
CTE | 1ª Plateia 10€ | 2ª Plateia 8€ | Balcão 6€ | 75MIN. | M/6



"Chama-se Luísa Sobral, tem 23 anos, um sexto sentido para a composição e uma voz privilegiada". É assim que o jornal El Mundo apresenta esta cantora portuguesa de jazz que está a dar passos de gigante na sua carreira e que, no próximo dia 22 de Outubro, vai estar no Cine-Teatro de Estarreja a explicar tudo isso.

The Cherry on my Cake é o primeiro disco assinado em nome próprio que se revê no single Not There Yet. Um álbum de originais e não só, com mais temas, em português e inglês, como O Engraxador, Xico, Clementine, Mr. & Mrs. Brown, I Would Love To e Why Should I? Acompanhada por músicas carregadas de imagens e sonhos, Luísa Sobral regressa a Portugal, depois de uma estadia no continente americano, para mostrar que tudo se consegue quando há vontade e para continuar a sua viagem musical que começou aos 12 anos.

Da onda pop-rock que a levou aos castings de um programa televisivo, passou para o jazz onde se encaixa plenamente. Anotou nomes como Billie Holiday, Ella Fitzerald, Chet Baker e com eles partiu para a Berklee College of Music, em Boston (EUA), para se formar na área da música. Aí foi nomeada para os prémios Best Jazz Song no Malibu Music Awards (2008), Best Jazz Artist no Hollywood Music Awards, International Songwirting Competition (2007) e The John Lennon Songwriting Competition (2008). Começava assim a nascer um fenómeno.

Luísa descobriu-se a cada ano. De Boston rumou para Nova Iorque e na bagagem já levava muito do que viria a consumar em canções que gravitavam na sua cabeça. The Cherry on my Cake é o resultado, de quem sonha em viver em Paris – inspiração trazida do cinema francês -, do frenesim de Nova Iorque e do afecto familiar de Lisboa. De Regina Spektor a Elis Regina, de Billie Holiday a Bjork, dos anos 50 à ingenuidade, do som à imagem, da voz ao talento, tudo isso extravasa da suavidade de Luísa Sobral. A sua voz tímida é acompanhada em palco pelo contrabaixo de João Hasselberg, pela percussão de Carlos Miguel e pelo piano de Filipe Melo.

Mais informações em:
http://www.cineteatroestarreja.com/#evento.php?id=629