Ocidente mergulha numa relao amorosa em decomposio

SAB 07 DEZ 22H00
Ocidente, de Victor Hugo Pontes

Rémis De Vos texto original
Regina Guimarães tradução
Victor Hugo Pontes encenação
F. Ribeiro cenografia
Wilma Moutinho desenho de luz
Luís Aly som
Pedro Frias piano
Maria do Céu Ribeiro e Pedro Frias elenco
Ao Cabo Teatro, As Boas Raparigas, Centro Cultural Vila Flor e Espaço do Tempo coprodução
[TEATRO] Auditório 5€
20% desconto com Cartão Amigo

Em cena no próximo dia 7 de dezembro no Cine-Teatro de Estarreja, “Ocidente”, de Victor Hugo Pontes, entra no quotidiano de um casal que vive em constante conflito. Com Maria do Céu Ribeiro e Pedro Frias na interpretação, “Ocidente” surge como uma denúncia ao racismo e ao nacionalismo.

Com base no texto original do dramaturgo francês Rémi De Vos, Victor Hugo Pontes volta a ingressar no universo do teatro contemporâneo com a peça “Ocidente”. Os dois atores em palco representam um casal corroído, que dialoga de forma violenta e venenosa. O racismo e o nacionalismo são temáticas presentes ao longo de toda a narrativa, mostrando como o contexto exterior dá forma ao permanente conflito interior desta família.

“Ocidente” perturba, acorda, revela. Concentrando-se na célula matricial da nossa sociedade (a família, a relação de um casal), “Ocidente” evoca todas as pequenas misérias contemporâneas, todos os devaneios quotidianos, todas as esperanças perdidas.

No próximo sábado, dia 7 de dezembro, o Cine-Teatro de Estarreja recebe este trabalho de direção fantástico, assinado por Victor Hugo Pontes. Estreado em outubro de 2013, “Ocidente” entra no espaço íntimo de um casal que veste a pele de muitos outros casais reais da sociedade atual. Um texto duro numa comunicação em permanente ataque, tensão e ameaça.

Nascido em Guimarães, Victor Hugo Pontes tem 35 anos e uma preenchida carreira como interprete, coreógrafo e encenador. Destacam-se trabalhos como “Manual de Instruções” (2009), “Rendez-vous” (2010), “Fuga Sem Fim” (2011), “A Ballet Story” (2012 – Guimarães Capital Europeia da Cultura), “A Strange Land” (2012 – Guimarães Capital Europeia da Cultura) e “Zoo” (2013). Apontado como um dos nomes responsáveis pela renovação e internacionalização da dança contemporânea nacional, com “Ocidente” Victor Hugo Pontes volta a entrar no mundo do teatro e da interpretação verbal, numa excelente versão do texto original de Remi De Vos.


+
http://www.cineteatroestarreja.com
http://www.facebook.com/cinestarreja
http://twitter.com/CTE__