Teatro do Desassossego recebeu meno honrosa pela Culturgest

Grupo de teatro juvenil prepara nova sesso destinada ao pblico escolar

No passado dia 5 de maio foram conhecidos os grupos selecionados para o Festival PANOS. O trabalho do Teatro do Desassossego mereceu uma menção honrosa por parte do júri de seleção e volta a subir ao palco com “Só há uma vida e nela quero ter tempo para construir-me e destruir-me”, de Pablo Fidalgo Lareo, no próximo dia 19 de maio, às 15h30, numa sessão para escolas.

Este ano foram apresentados 24 espetáculos no âmbito do projeto PANOS - Palcos Novos, Palavras Novas, a nível nacional. À semelhança das edições anteriores desta iniciativa da Culturgest foram selecionados seis espetáculos, dois por texto trabalhado. Os grupos de jovens intérpretes selecionados farão parte do Festival PANOS que decorre de 22 a 24 de maio, no Grande Auditório da Culturgest, em Lisboa.

Apesar de não ter sido selecionado, o Teatro do Desassossego foi distinguido com uma menção honrosa por parte da organização, por ter apresentado uma “proposta sólida” na encenação e interpretação de “Só há uma vida e nela quero ter tempo de construir-me e destruir-me”. Em 2014, o Teatro do Desassossego fez parte do programa do Festival PANOS com a peça “Os Anjos Tossem Assim”, de Sandro William Junqueira.

Na próxima terça-feira, 19 de maio, os alunos do 8º e 12º anos do Agrupamento de Escolas de Estarreja ocupam o CTE para assistir ao trabalho deste grupo de teatro, composto por 9 elementos com idades entre os 12 e os 18 anos, encenado por Teresa Arcanjo. O Teatro do Desassossego participa no PANOS há quatro anos consecutivos e conta com várias estreias no seu currículo: “The Grandfathers” (2012), de Rory Mullarkey, “Ester” (2013), de Rui Catalão, “Os Anjos Tossem Assim” (2014), de Sandro William Junqueira, e “Só há uma vida e nela quero ter tempo para construir-me e destruir-me” (2015), do espanhol Pablo Fidalgo Lareo.

[TEATRO]
TER 19 MAI 15H30 | Sessão para escolas
Só há uma vida e nela quero ter tempo para construir-me e destruir-me

Pablo Fidalgo Lareo texto original
Teresa Arcanjo encenação
Bianca Oliveira, Cátia Azevedo, Gabriela Garcia da Silva, Henrique Rainho, Lucília Anjos, Mariana Ribeiro, Mariana Rodrigues, Sofia de Brito Tavares, Sofia Valente Bastos interpretação
Cine-Teatro de Estarreja produção

+
http://www.cineteatroestarreja.com
http://www.facebook.com/cinestarreja
http://twitter.com/CTE__