Celebrar o Dia do Pai com msica portuguesa no CTE Miguel ngelo nos Concertos ntimos



Apresentações dispensam-se. A sua voz atravessou gerações que no próximo sábado terão oportunidade de se juntar para mais um Concerto Íntimo, com Miguel Ângelo.  A eterna figura dos Delfins e também membro fundador dos Resistência surge pela primeira vez no cartaz do Cine-Teatro de Estarreja (CTE), motivado pelo lançamento de “Segundo”, o seu mais recente álbum a solo. O CTE convida as famílias a assistirem ao espetáculo este sábado, dia 19 de março, pelas 21h30. O Dia do Pai em Estarreja será cantado com músicas que tocaram várias gerações, assim como outras novas que surgem no segundo CD de um dos mais importantes rostos da música portuguesa. 


Pai pela terceira vez há pouco tempo, neste concerto de Miguel Ângelo sobressairá um tom especialmente familiar, indo de certa forma ao encontro dos objetivos do ciclo Concertos Íntimos do CTE, onde existe uma maior proximidade do artista com o público, e que comemoram a sua 10ª edição em 2016.


 Os concertos “mais intimistas têm sempre outro sabor”, sublinha Miguel Ângelo. Num auditório como o do Cine-Teatro de Estarreja “a música ouve-se de outra maneira, nos festivais por vezes interessa mais a festa... É por isso que faço sempre primeiro a apresentação de canções novas em espaços deste tipo.” Miguel Ângelo não tem dúvidas que para o público “estas experiências mais ‘pessoais’ perduram na memória.”


 Esta é a primeira vez que Miguel Ângelo atua em Estarreja e o dia não podia ser mais especial. Para além de ter sido “pai muito recentemente”, este “é também o dia de aniversário da minha mulher. Logo vai-se respirar um ambiente muito familiar no Cine-Teatro! E nada melhor do que isso para se passar uma noite ‘quente’ junto do público que me tem acompanhado ao longo de muitos anos e é também já ele uma entidade muito familiar.”


 O concerto vai incidir naturalmente sobre o seu trabalho a solo. “É uma carreira já longa, com muitas histórias e canções para contar.” Será no entanto possível ignorar 25 anos de carreira e de êxitos com os Delfins? “Seria impossível não fazer essa viagem... Até porque estes espetáculos mais íntimos propiciam memórias e histórias de outros tempos. Mas também acho que devo manter um pé no presente e outro no futuro e, como autor, gosto sempre de apresentar ao público o que ando a escrever e a compor de momento”, ressalva. Em “Segundo” a nova versão de "O Vento Mudou" – em dueto com Eduardo Nascimento – é uma verdadeira a surpresa à qual se acrescentam os temas “Anda Lá" ou "A Volta a Dar". É "Na Hora Certa".


Depois de Carmen Souza & Theo Pascal e antes de João Pedro Pais (21 de maio), Miguel Ângelo, aos 30 anos de carreira, presenteia os Concertos Íntimos do CTE trazendo êxitos de sempre da música portuguesa e novas composições. “Que venham novos e velhos!”, um convite lançado pelo próprio Miguel Ângelo que, reconhecendo a dinâmica cultural do CTE, deseja que o público continue “a acompanhar as visitas dos diversos artistas ao Cine-Teatro de Estarreja.”