NOVECENTOS, O PIANISTA DO OCEANO - PERIPCIA TEATRO

SB 06 OUT 22H00

TEATRO | 5,00 | 3,50 C/DESC. HABITUAIS
75 MIN. | M/12
BASEADO NO TEXTO NOVECENTOS, DE ALESSANDRO BARICCO

www.peripeciateatro.com
Criao/ Adaptao: ngel Fragua, Noelia Domnguez, Srgio Agostinho e Jos Carlos Garcia.
Interpretao: Srgio Agostinho e ngel Fragua com Luis Filipe Santos (clarinetes) e Tiago Abrantes (clarinetes)
Iluminao: Paulo Neto
Desenho Grfico, cenografia e adereos: Ztavares
Direco: Noelia Domnguez
Operao de luz: Eurico Alves
Figurinos: Peripcia Teatro



A histria

Novecentos o nome do protagonista desta histria, e um pianista excepcional que nunca desceu do Virginian o paquete que percorria nos princpios do sculo XX as rotas de emigrantes e milionrios entre a Europa e a Amrica.

Novecentos foi encontrado nesse barco, com apenas alguns dias de vida, abandonado dentro de uma caixa de limes deixada em cima do lustroso piano do salo de baile. A cresceu, adoptado e educado pela tripulao. Uma madrugada, ainda menino, foi encontrado pela tripulao, rodeado de passageiros em silncio, todos em pijama, sentado ao piano do salo de baile, de pernas a balanar, a tocar no se sabia que msica Mas muito bela. Foi dessa maneira que nasceu a lenda do pianista do Oceano, e foi crescendo com ele:
Dizia-se que a bordo do Virginian havia um tipo que com o piano fazia o que queria; que tocava uma msica estranha, que do piano fazia sair notas que no eram normais, que s ele era capaz de arrancar; parecia que tinha quatro mos, tal era a sua tcnica; e quando lhe apetecia tocava Jazz, e quando no, tocava uma coisa que era como dez jazzes juntos! Eram msicas de outro mundo, ou deste, mas todas de uma vez! Do seu piano saam todas as msicas da terra. Era de ficar petrificado.
Estas coisas diziam-se de Novecentos. Veio escrito nos jornais e era mesmo verdade!

O espectculo

Novecentos , originalmente, um monlogo escrito para um actor. O desafio dos criadores deste espectculo o de manter a linha narrativa desse monlogo, e transform-lo num espectculo onde em vez de prevalecer a narrao predomina a aco. Alm de adaptar o modelo narrativo, o repto o de criar cdigos e sinais que permitam representar uma histria como esta, que em momentos alcana registos prximos ao fantstico.

O jogo dos actores tem a espontaneidade dos contadores de histrias, mistura com a ironia dos entertainers, o humor inocente dos clowns e a versatilidade dos transformistas.
A msica tem no espectculo um papel fundamental. A contar esta histria com os actores, esto dois clarinetistas que interpretam temas do princpio do Sculo XX, sobretudo Ragtime e Dixieland, assim como temas e sonoridades criadas para o espectculo. Sempre em sintonia com a narrativa e a aco, e com a cumplicidade do actor. mais do que uma banda sonora executada ao vivo: a msica e os seus intrpretes so parte intrnseca do espectculo.

O autor
Alessandro Baricco

Nasceu em Turim, em 1958. autor de vrios ensaios e romances: Castelos de Raiva (prmios Selezione Campiello 1991 e Mdicis estrangeiro 1995), Oceano Mar (prmios Viareggio per la Narrativa e Palazzo al Bosco) e Seda. Alm de Novecentos escreveu outro texto para teatro - Davila Roa - e dois livros sobre msica - um ensaio sobre Rossini e outro sobre a relao entre a msica clssica e a modernidade.

A sua obra Seda obteve um xito extraordinrio em Itlia e nos vrios pases onde foi editado, e consagrou-o como um dos grandes autores italianos da nova gerao.

Apresentador de dois programas de televiso de grande sucesso, tambm um reconhecido crtico musical e literrio.

Alessandro Baricco acumula prmios e best-sellers um pouco por toda a parte. Acaba de ser traduzido o seu quarto livro publicado em Portugal, Novecentos. Samos da sua leitura renovados. A questo : porque que quase ningum em Portugal l Baricco?
Pblico